11h24

Contemplações batem recorde em outubro e vendas mensais crescem mais de 35%

Presidente Executivo da ABAC comenta as expectativas para o final do ano e para 2015

Compartilhe
Tamanho da Fonte

Ao cravar a marca de 119 mil contemplados em outubro, os consórcios bateram recorde histórico dos últimos dez anos, segundo dados da assessoria econômica da ABAC Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios. Complementados pela superação dos 6,04 milhões de participantes ativos e aumento de 35% nas vendas de novas cotas no décimo mês sobre as de julho, menor volume do ano, os indicadores voltaram a confirmar a retomada dos negócios e o interesse dos consumidores pelo mecanismo como forma planejada, simples e econômica de adquirir bens ou contratar serviços.

As contemplações, momento em que consorciados têm a possibilidade de concretizar a compra de bens ou a contratação de serviços, impulsionam os diversos elos da cadeia produtiva. Com comportamento estável e viés de alta, registrou média mensal de 112,3 mil e atingiram o maior volume em outubro (119 mil), considerados os últimos dez anos. O acumulado em 2014 foi de 1,12 milhão (jan-out), 7,7% maior que as 1,04 milhão (jan-out) de 2013.

 

 
Paralelamente, o número de participantes ativos continuou aumentando, chegando aos 6,04 milhões, em outubro, 7,3% mais que as 5,63 milhões do mesmo mês no ano passado. Novamente um total nunca atingido anteriormente, resultado da confiança e da credibilidade do Sistema e do planejamento financeiro do consorciado.

 


Nos dez primeiros meses do ano, foram comercializadas 1,88 milhão de novas cotas (jan-out/2014), 10% menor que as 2,09 milhões acumuladas no mesmo período de 2013. No ano, as vendas registraram média mensal de 188 mil novas adesões, com pico em setembro de 219 mil. Ao comparar o total alcançado em outubro, 206,5 mil, em relação ao menor do ano, 152,1 mil, ocorrido em julho, observa-se um crescimento de 35,8%, confirmando a inversão de tendência negativa apontada no período pré e durante a Copa do Mundo.
 

 
Para Paulo Roberto Rossi, presidente executivo da ABAC, "apesar de ainda vivenciarmos as consequências das retrações em vários indicadores, por conta das conhecidas razões anteriores e durante a Copa do Mundo, constatamos que a normalidade dos negócios, assinalada nos últimos três meses, já aponta crescimento sustentável e até recordes. Ficou claro ainda que os consumidores preferiram aguardar para aderir aos consórcios. Eles têm, em muitas oportunidades, decidido por avaliar custos e adotar o consumo consciente e responsável depois de análises e comparações, apoiado em planejamento pessoal ou familiar".

PERSPECTIVAS 

Com a chegada das últimas semanas de 2014, a expectativa é atingir os melhores resultados, mesmo cientes das dificuldades enfrentadas. "O menor número de dias úteis trabalhados no primeiro semestre e o período relativo à Copa do Mundo foram os principais motivos da desaceleração do Sistema de Consórcios, além da insegurança demonstrada pelo brasileiro face às turbulências na economia", diz Rossi.

No final do ano passado, o desejo das administradoras participantes do Sistema de Consórcios era de, pelo menos, repetir a performance durante esse ano. "Quase um ano depois, a expectativa é de que o crescimento anual permanente ocorrido desde 2005 seja interrompido. Porém, o objetivo é que isso fique apenas restrito a alguns meses de 2014", segundo o presidente executivo da ABAC.

Ao mesmo tempo, sabe-se que com o pagamento do 13º salário, muitos consorciados aproveitarão este momento para oferecer lances, visando ser contemplados e poder adquirir, por exemplo, veículos em estoque nas concessionárias, ou até mesmo lucrarem na compra de imóveis com descontos. Outros, ainda não participantes, farão suas adesões seguindo seus planejamentos individuais ou familiares, buscando conquistar seus objetivos.

Sem projetar 2015, Rossi finaliza explicando que "diversas pesquisas, divulgadas pela imprensa, feitas junto a consumidores têm revelado que a intenção de muitos brasileiros é economizar, poupar, investir, buscar qualidade  e melhorar o padrão de vida. Ou seja, se parcela significativa menciona que não pretende fazer financiamentos e não se endividar de forma excessiva, é possível acreditar que a educação financeira vem se fazendo cada vez mais presente e que consórcio, dentro desse novo comportamento, pode ser a alternativa a ser utilizada".

Isso pode ser comprovado pela última pesquisa da Quorum Serviços que constatou que 62% dos entrevistados planejaram anteriormente a aquisição de cotas de consórcios, ou seja, buscaram informações e evitaram, assim, a compra por impulso, razão do alto endividamento de parte da população.

RESUMO DO SISTEMA DE CONSÓRCIOS

AO COMPLETAR OS DEZ PRIMEIROS MESES DO ANO, LEMBRAMOS QUE VÁRIOS DELES TIVERAM MENOR NÚMERO DE DIAS ÚTEIS TRABALHADOS, ALÉM DO PERÍODO DA COPA DO MUNDO.

TODAVIA, PASSADO ESSE MOMENTO, OBSERVOU-SE A RETOMADA DOS NEGÓCIOS CONSORCIAIS COM CRESCIMENTO DO NÚMERO DE PARTICIPANTES ATIVOS, RECORDE MENSAL NAS CONTEMPLAÇÕES E AUMENTO NAS ADESÕES MENSAIS

NESTA ÚLTIMA, NA RELAÇÃO VENDAS DE OUTUBRO SOBRE VENDAS DE JULHO, MENOR VOLUME DO ANO, O PORCENTUAL DE 35% DE AVANÇO CONFIRMOU A CONTINUIDADE DE INTERESSE DOS CONSUMIDORES.

 

NÚMEROS DO SISTEMA DE CONSÓRCIOS
ESTIMATIVAS SEGUNDO A ASSESSORIA ECONÔMICA DA ABAC


OS INDICADORES DO SISTEMA DE CONSÓRCIOS EM OUTUBRO APRESENTARAM RECUPERAÇÃO, PRINCIPALMENTE NOS SETORES DE VEÍCULOS AUTOMOTORES, IMÓVEIS E SERVIÇOS.

NOS ÚLTIMOS MESES, NOTOU-SE QUE AS VENDAS DE NOVAS COTAS REAGIRAM EM TODOS OS SETORES, EXCETO SERVIÇOS. 

TANTO O NÚMERO DE PARTICIPANTES ATIVOS, EM OUTUBRO, COMO O NÚMERO ACUMULADO DE CONTEMPLAÇÕES, DE JANEIRO A OUTUBRO, APRESENTARAM CRESCIMENTO DE MAIS DE 7%.

- PARTICIPANTES ATIVOS (CONSORCIADOS EM GRUPOS EM ANDAMENTO)
  - 6,04 MILHÕES (EM OUTUBRO/2014)
  - 5,63 MILHÕES (EM OUTUBRO/2013)
  CRESCIMENTO: 7,3%

- PARTICIPANTES QUITADOS (CONSORCIADOS EM GRUPOS EM ANDAMENTO)
  - 1,29 MILHÃO (EM OUTUBRO/2014)
  - 1,20 MILHÃO (EM OUTUBRO/2013)
  CRESCIMENTO: 7,5%

- TOTAL DE PARTICIPANTES (CONSORCIADOS EM GRUPOS EM ANDAMENTO)
  - 7,33 MILHÕES (EM OUTUBRO/2014)
  - 6,83 MILHÕES (EM OUTUBRO/2013)
  CRESCIMENTO: 7,3%

- VENDAS DE NOVAS COTAS (NOVOS CONSORCIADOS)
   - 1,88 MILHÃO    (JANEIRO-OUTUBRO/2014)
   - 2,09 MILHÕES (JANEIRO-OUTUBRO/2013)
  RETRAÇÃO: 10%

VOLUME DE CRÉDITOS COMERCIALIZADOS
 - R$ 62,2 BILHÕES (JANEIRO-OUTUBRO/2014) 
 - R$ 67,9 BILHÕES (JANEIRO-OUTUBRO/2013)
 RETRAÇÃO: 8,4%

- CONTEMPLAÇÕES
   (CONSORCIADOS QUE TIVERAM A OPORTUNIDADE DE COMPRAR BENS)
   - 1,12 MILHÃO (JANEIRO-OUTUBRO/2014) 
   - 1,04 MILHÃO (JANEIRO-OUTUBRO/2013)
  CRESCIMENTO: 7,7%

VOLUME DE CRÉDITOS DISPONIBILIZADOS
 - R$ 31,1 BILHÕES (JANEIRO-OUTUBRO/2014) 
 - R$ 28,1 BILHÕES (JANEIRO-OUTUBRO/2013)
  CRESCIMENTO: 10,7% 

 

ATIVOS ADMINISTRADOS E PATRIMÔNIO LÍQUIDO DÃO SEGURANÇA E LIQUIDEZ AO SISTEMA


PATRIMÔNIO LÍQUIDO AJUSTADO
- R$ 6,5 BILHÕES (DEZEMBRO/2013)
- R$ 5,8 BILHÕES (DEZEMBRO/2012)
  CRESCIMENTO: 12,1%

ATIVOS ADMINISTRADOS
- R$ 142,5 BILHÕES (DEZEMBRO/2013)
- R$ 123,0 BILHÕES (DEZEMBRO/2012)
  CRESCIMENTO: 15,9%

 

NEGÓCIOS REALIZADOS GERAM EMPREGOS E ARRECADAÇÃO DE TRIBUTOS


TRIBUTOS E CONTRIBUIÇÕES PAGOS
   - R$ 1,50 BILHÃO (JANEIRO-DEZEMBRO/2013)
   - R$ 1,30 BILHÃO (JANEIRO-DEZEMBRO/2012) 
     CRESCIMENTO: 15,4%

EMPREGOS GERADOS DIRETOS E INDIRETOS
   - MAIS DE 100 MIL**

Fontes: 
*  Banco Central do Brasil  
** ABAC

 

O SISTEMA DE CONSÓRCIOS DIVIDIDO POR SETORES
 
VEÍCULOS AUTOMOTORES EM GERAL


NO SETOR DE VEÍCULOS AUTOMOTORES, QUE REÚNE VEÍCULOS LEVES, VEÍCULOS PESADOS E MOTOCICLETAS, FOI OBSERVADO O CRESCIMENTO DO NÚMERO DE PARTICIPANTES ATIVOS, NO DÉCIMO MÊS DO ANO.

NO ACUMULADO DOS DEZ PRIMEIROS MESES, AS VENDAS DE NOVAS COTAS SEGUIRAM INFERIORES ÀS REGISTRADAS UM ANO ANTES, TODAVIA MOSTRANDO RECUPERAÇÃO.

AS CONTEMPLAÇÕES, SOMADAS DE JANEIRO A OUTUBRO, SUSTENTARAM A SEQUÊNCIA DE ALTA ULTRAPASSANDO A MARCA DE 1,1 MILHÃO DE CONSORCIADOS.

PARTICIPANTES ATIVOS (CONSORCIADOS) 
  - 5,28 MILHÕES (EM OUTUBRO/2014)
  - 4,89 MILHÕES (EM OUTUBRO/2013)
  CRESCIMENTO: 8%

PARTICIPANTES QUITADOS (CONSORCIADOS EM GRUPOS EM ANDAMENTO)
  - 1,12 MILHÃO (EM OUTUBRO/2014)
  - 1,02 MILHÃO (EM OUTUBRO/2013)
  CRESCIMENTO: 9,8%

TOTAL DE PARTICIPANTES (CONSORCIADOS EM GRUPOS EM ANDAMENTO)
  - 6,40 MILHÕES (EM OUTUBRO/2014)
  - 5,91 MILHÕES (EM OUTUBRO/2013)
  CRESCIMENTO: 8,3%
 
- VENDAS DE NOVAS COTAS (NOVOS CONSORCIADOS) 
   - 1,72 MILHÃO (JANEIRO-OUTUBRO/2014)
   - 1,91 MILHÃO (JANEIRO-OUTUBRO/2013)
   RETRAÇÃO: 9,9%

- VOLUME DE CRÉDITOS COMERCIALIZADOS (ACUMULADO NO PERÍODO)
   - R$ 46,4 BILHÕES (JANEIRO-OUTUBRO/2014)
   - R$ 50,9 BILHÕES (JANEIRO-OUTUBRO/2013)
   RETRAÇÃO: 8,8%

 - CONTEMPLAÇÕES
    (CONSORCIADOS QUE TIVERAM POSSIBILIDADE DE COMPRAR BENS)
   - 1,05 MILHÃO (JANEIRO-OUTUBRO/2014) 
   -    960,3 MIL    (JANEIRO-OUTUBRO/2013)
   CRESCIMENTO: 9,3%

- VOLUME DE CRÉDITOS DISPONIBILIZADOS (ACUMULADO NO PERÍODO)
   - R$ 25,6 BILHÕES (JANEIRO-OUTUBRO/2014)
   - R$ 22,6 BILHÕES (JANEIRO-OUTUBRO/2013)
   CRESCIMENTO: 13,3%

- PARTICIPAÇÃO DOS CONSÓRCIOS EM CRÉDITOS CONCEDIDOS
   (PORCENTUAL DO TOTAL INCLUINDO FINANCIAMENTO, LEASING E CONSÓRCIO)
   - 26,6% (JANEIRO A OUTUBRO/2014) - R$ 25,6 BILHÕES SOBRE R$ 96 BILHÕES
   - 23,6% (JANEIRO A OUTUBRO/2013) - R$ 22,6 BILHÕES SOBRE R$ 95,6 BILHÕES
   CRESCIMENTO: 3 PONTOS PERCENTUAIS
    Fonte: Banco Central do Brasil

VEÍCULOS LEVES (AUTOMÓVEIS, CAMIONETAS, UTILITÁRIOS)

COM NÚMERO POUCO MAIOR DE PARTICIPANTES ATIVOS QUE O SETOR DE MOTOCICLETAS E MOTONETAS, O DE VEÍCULOS LEVES, QUE REÚNE AUTOMÓVEIS, CAMIONETAS E UTILITÁRIOS, CONTINUOU AUMENTANDO O TOTAL DE CONSORCIADOS EM OUTUBRO.

COM MÉDIA DE PARTICIPAÇÃO DE UMA UNIDADE VENDIDA A CADA CINCO NO MERCADO INTERNO, VERIFICADO PELA CETIP, VEÍCULOS LEVES CONFIRMARAM CRESCIMENTO NAS UTILIZAÇÕES DAS CARTAS DE CRÉDITO, NOS DEZ PRIMEIROS MESES DO ANO.

O TÍQUETE MÉDIO CRESCEU MAIS DE 20% DE OUTUBRO DE 2013 PARA O DE 2014.

- PARTICIPANTES ATIVOS (CONSORCIADOS)
  - 2,53 MILHÕES (EM OUTUBRO/2014)
  - 2,28 MILHÕES (EM OUTUBRO/2013)
  CRESCIMENTO: 11%

- PARTICIPANTES QUITADOS  (CONSORCIADOS EM GRUPOS EM ANDAMENTO)  
-  350 MIL (EM OUTUBRO/2014)
 - 270 MIL (EM OUTUBRO/2013)
  CRESCIMENTO: 29,6% 

- TOTAL DE PARTICIPANTES  (CONSORCIADOS EM GRUPOS EM ANDAMENTO)
  - 2,88 MILHÕES (EM OUTUBRO/2014)
  - 2,55 MILHÕES (EM OUTUBRO/2013)
  CRESCIMENTO: 12,9%
 
- VENDAS DE NOVAS COTAS (NOVOS CONSORCIADOS)
   - 709,5 MIL (JANEIRO-OUTUBRO/2014)
   - 791,5 MIL (JANEIRO-OUTUBRO/2013)
   RETRAÇÃO: 10,4%
 
- VOLUME DE CRÉDITOS COMERCIALIZADOS (ACUMULADO NO PERÍODO)
   - R$ 29,8 BILHÕES (JANEIRO-OUTUBRO/2014)
   - R$ 33,0 BILHÕES (JANEIRO-OUTUBRO/2013)
   RETRAÇÃO: 9,7%

- TÍQUETE MÉDIO (VALOR MÉDIO DA COTA NO MÊS)
   - R$ 42,0 MIL (OUTUBRO/2014)
   - R$ 41,1 MIL (OUTUBRO/2013)
   CRESCIMENTO: 2,2%

- CONTEMPLAÇÕES*
  (CONSORCIADOS QUE TIVERAM A OPORTUNIDADE DE COMPRAR BENS)
   - 382,5 MIL (JANEIRO-OUTUBRO/2014) 
   - 327,0 MIL (JANEIRO-OUTUBRO/2013)
   CRESCIMENTO: 17%
* EM RAZÃO DE PARCERIA ENTRE ABAC E CETIP, ESTE INDICADOR PODERÁ SER DESDOBRADO POR REGIÕES E POR ALGUNS ESTADOS, BASEADO NAS UTILIZAÇÕES DOS CRÉDITOS NO PERÍODO MENCIONADO.

- VOLUME DE CRÉDITOS DISPONIBILIZADOS  (ACUMULADO NO PERÍODO)
   - R$ 15,5 BILHÕES (JANEIRO-OUTUBRO/2014)
   - R$ 12,5 BILHÕES (JANEIRO-OUTUBRO/2013)
   CRESCIMENTO: 24%

MOTOCICLETAS E MOTONETAS

SEGUNDO SETOR EM NÚMERO DE PARTICIPANTES ATIVOS, MOTOCICLETAS E MOTONETAS REGISTRARAM ALTA NO TOTAL DE CONSORCIADOS.

ENQUANTO O ACUMULADO DE VENDAS DE NOVAS COTAS, DE JANEIRO A OUTUBRO DESTE ANO, APONTOU RETRAÇÃO DE 9,9% EM RELAÇÃO AO MESMO PERÍODO DO ANO PASSADO, A SOMATÓRIA DAS CONTEMPLAÇÕES, NOS MESMOS DEZ MESES, ASSINALOU AUMENTO DE 5,8%.

NO ANO, A PARTICIPAÇÃO POTENCIAL DOS CONSORCIADOS CONTEMPLADOS NAS VENDAS AO MERCADO INTERNO RESULTOU EM UMA A CADA DUAS MOTOS VENDIDAS POR CONSÓRCIO (53,6%) NO MERCADO INTERNO.

- PARTICIPANTES ATIVOS  (CONSORCIADOS)
  - 2,52 MILHÕES (EM OUTUBRO/2014)
  - 2,40 MILHÕES (EM OUTUBRO/2013)
  CRESCIMENTO: 5%

- PARTICIPANTES QUITADOS (CONSORCIADOS EM GRUPOS EM ANDAMENTO)
  - 700 MIL (EM OUTUBRO/2014)
  - 680 MIL (EM OUTUBRO/2013)
  CRESCIMENTO: 2,9%

- TOTAL DEPARTICIPANTES  (CONSORCIADOS EM GRUPOS EM ANDAMENTO)
  - 3,22 MILHÕES (EM OUTUBRO/2014)
  - 3,08 MILHÕES (EM OUTUBRO/2013)
  CRESCIMENTO: 4,5%

- VENDAS DE NOVAS COTAS (NOVOS CONSORCIADOS)
   -    973,5 MIL    (JANEIRO-OUTUBRO/2014)
   - 1,08 MILHÃO (JANEIRO-OUTUBRO/2013)
   RETRAÇÃO: 9,9%
 
- VOLUME DE CRÉDITOS COMERCIALIZADOS (ACUMULADO NO PERÍODO)
   - R$ 10,6 BILHÕES (JANEIRO-OUTUBRO/2014)
   - R$ 11,6 BILHÕES (JANEIRO-OUTUBRO/2013)
   RETRAÇÃO: 8,6%

- TÍQUETE MÉDIO DO MÊS (VALOR MÉDIO DA COTA NO MÊS)
   - R$ 10,9 MIL (OUTUBRO/2014)
   - R$ 10,6 MIL (OUTUBRO/2013)
   CRESCIMENTO: 2,8%

- CONTEMPLAÇÕES*
   (CONSORCIADOS QUE TIVERAM A OPORTUNIDADE DE COMPRAR BENS)
   - 641 MIL (JANEIRO-OUTUBRO/2014) 
   - 606 MIL (JANEIRO-OUTUBRO/2013)
   CRESCIMENTO: 5,8%
* EM RAZÃO DE PARCERIA ENTRE ABAC E CETIP, ESTE INDICADOR PODERÁ SER DESDOBRADO POR REGIÕES E POR ALGUNS ESTADOS, BASEADO NAS UTILIZAÇÕES DOS CRÉDITOS NO PERÍODO MENCIONADO.

- VOLUME DE CRÉDITOS DISPONIBILIZADOS (ACUMULADO NO PERÍODO)
   - R$ 6,22 BILHÕES (JANEIRO-OUTUBRO/2014)
   - R$ 6,33 BILHÕES (JANEIRO-OUTUBRO/2013)
   RETRAÇÃO: 1,7%

VEÍCULOS PESADOS (CAMINHÕES, ÔNIBUS, SEMI-REBOQUES, TRATORES, IMPLEMENTOS)

APESAR DA RETRAÇÃO NAS VENDAS DE NOVAS COTAS, O VALOR DO TÍQUETE MÉDIO NO SETOR DE VEÍCULOS PESADOS AUMENTOU MAIS DE 5% EM OUTUBRO. 

ENQUANTO O ACUMULADO DE CONTEMPLAÇÕES, DE JANEIRO A OUTUBRO DO ANO, FOI MAIOR QUE O DO ANO PASSADO, O TOTAL DE PARTICIPANTES CRESCEU MAIS DE 11%.

ENTRE AS MÁQUINAS AGRÍCOLAS, DE ACORDO COM LEVANTAMENTO FEITO PELA ASSESSORIA ECONÔMICA DA ABAC EM AGOSTO, OS CONSÓRCIOS MOSTRARAM PROCURA POR COTAS DE ATÉ R$ 1,3 MILHÃO, COM TAXA MÉDIA DE 0,133% AO MÊS, EM PRAZO MÉDIO DE 104 MESES. (LEIA MAIS ABAIXO).

- PARTICIPANTES  ATIVOS (CONSORCIADOS)
  - 239 MIL (EM OUTUBRO/2014)
  - 214 MIL (EM OUTUBRO/2013)
  CRESCIMENTO: 11,7%

- PARTICIPANTES QUITADOS (CONSORCIADOS EM GRUPOS EM ANDAMENTO) 
  -   58,5 MIL (EM OUTUBRO/2014)
  -   57,0 MIL (EM OUTUBRO/2013)
  CRESCIMENTO: 2,6%

- TOTAL DE PARTICIPANTES (CONSORCIADOS EM GRUPOS EM ANDAMENTO)
  - 297,5 MIL (EM OUTUBRO/2014)
  - 271,0 MIL (EM OUTUBRO/2013)
  CRESCIMENTO: 9,8%
 
- VENDAS DE NOVAS COTAS (NOVOS CONSORCIADOS)
   - 38,5 MIL (JANEIRO-OUTUBRO/2014)
   - 41,9 MIL (JANEIRO-OUTUBRO/2013)
   RETRAÇÃO: 8,1%
 
- VOLUME DE CRÉDITOS COMERCIALIZADOS (ACUMULADO NO PERÍODO)
   - R$ 6,03 BILHÕES (JANEIRO-OUTUBRO/2014)
   - R$ 6,26 BILHÕES (JANEIRO-OUTUBRO/2013)
   RETRAÇÃO: 3,7%

- TÍQUETE MÉDIO (VALOR MÉDIO DA COTA NO MÊS)
   - R$ 155,4 MIL (OUTUBRO/2014)
   - R$ 147,0 MIL (OUTUBRO/2013)
   CRESCIMENTO: 5,7%

- CONTEMPLAÇÕES
  (CONSORCIADOS QUE TIVERAM A OPORTUNIDADE DE COMPRAR BENS)
   - 28,2 MIL (JANEIRO-OUTUBRO/2014)
   - 27,3 MIL (JANEIRO-OUTUBRO/2013)
  CRESCIMENTO: 3,3%

- VOLUME DE CRÉDITOS DISPONIBILIZADOS (ACUMULADO NO PERÍODO)
   - R$ 3,87 BILHÕES (JANEIRO-OUTUBRO/2014)
   - R$ 3,72 BILHÕES (JANEIRO-OUTUBRO/2013)
  CRESCIMENTO: 4%

MÁQUINAS E IMPLEMENTOS AGRÍCOLAS

CRÉDITOS DOS CONSÓRCIOS DE MÁQUINAS AGRÍCOLAS ATINGEM ATÉ R$ 1,3 MILHÃO

AO REALIZAR NOVO LEVANTAMENTO, A ASSESSORIA ECONÔMICA DA ABAC ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ADMINISTRADORAS DE CONSÓRCIOS CONSTATOU QUE, ENTRE AS ADMINISTRADORAS QUE ATUAM NO SETOR DE VEÍCULOS PESADOS, ESPECIALMENTE EM MÁQUINAS E IMPLEMENTOS AGRÍCOLAS, HOUVE CRESCIMENTO NO VALOR DOS BENS OBJETIVADOS PARA O DESENVOLVIMENTO DE SUAS ATIVIDADES.

AO VARIAR DE R$ 10 MIL A R$ 1,3 MILHÃO, OS CONSORCIADOS, AO UTILIZAREM O CONSÓRCIO COMO FORMA ECONÔMICA E PLANEJADA, TÊM PROCURADO ADQUIRIR EQUIPAMENTOS COM MAIS TECNOLOGIA E QUE PROPORCIONEM MELHORES RESULTADOS. 

PARALELAMENTE, OBSERVOU-SE QUE A MAIORIA (76,6%) DOS BENS COMPRADOS COM OS CRÉDITOS DISPONIBILIZADOS NAS CONTEMPLAÇÕES FORAM IMPLEMENTOS AGRÍCOLAS E RODOVIÁRIOS COM 42,9%, CULTIVADORES MOTORIZADOS COM 14,3% E COLHEITADEIRAS COM 19,4%. OS TRATORES DE RODA PARTICIPARAM COM 23,4%. 

COM GRUPOS VARIANDO DE 60 A 150 MESES E MÉDIA DE 104, DOIS A MAIS QUE O REGISTRADO EM MARÇO ÚLTIMO (102), A TAXA MÉDIA MENSAL DE ADMINISTRAÇÃO APONTOU 0,133%, COM O CRÉDITO MÉDIO DE R$ 191,4 MIL. 

SEGUNDO PAULO ROBERTO ROSSI, PRESIDENTE EXECUTIVO DA ABAC, "AS BOAS PERSPECTIVAS ANUNCIADAS NO SETOR AGRÍCOLA, APESAR DA SECA E DE CHUVAS EXTREMAS EM VÁRIOS PONTOS DO PAÍS, ESTIMULARAM A PROCURA POR MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS MAIS AVANÇADOS TECNOLOGICAMENTE VIA CONSÓRCIO. AS MUDANÇAS INFLUÍRAM NOS PRAZOS E NOS CRÉDITOS, COM CONSEQUENTE REDUÇÃO NO VALOR DAS PARCELAS CONTRIBUINDO FORTEMENTE PARA O AGRONEGÓCIO, QUE TEM NO PLANEJAMENTO, A EXEMPLO DO MECANISMO, SUA CARACTERÍSTICA PRINCIPAL".

A SAZONALIZAÇÃO DO AGRONEGÓCIO COM SUAS DIVERSAS CULTURAS FAZ COM QUE OS CONSÓRCIOS SEJAM INDICADOS PARA QUEM DESEJA CRESCER E DESENVOLVER PLANTIOS ALTERNATIVOS. AS FORMAS DE PAGAMENTO DE SUAS PARCELAS CONTINUAM SENDO DIFERENCIAIS POSITIVOS:
1 - PAGAMENTOS NORMAIS;
2 - PAGAMENTOS POR SAFRA - PAGAMENTOS ANUAIS
3 - PAGAMENTOS POR SAFRA ADIANTAMENTOS  - PAGAMENTO TRIMESTRAL OU SEMESTRAL.

 

 

      
IMÓVEIS

ENQUANTO NO PRIMEIRO SEMESTRE DESTE ANO A MÉDIA MENSAL DE VENDAS FOI DE 13 MIL NOVAS COTAS, NO SEGUNDO, EM APENAS QUATRO MESES, A MÉDIA JÁ ATINGIU 15 MIL. OS NÚMEROS SINALIZAM A RECUPERAÇÃO DO SETOR QUE, DEPOIS DE VIVENCIAR ALGUNS MESES OU ANOS DE TURBULÊNCIA, ENFRENTOU AS DIFICULDADES RELATIVAS AO MENOR NÚMERO DE DIAS ÚTEIS TRABALHADOS E A COPA DO MUNDO.

DE FORMA GRADATIVA, O TOTAL DE PARTICIPANTES VEM REAGINDO EM RELAÇÃO AO ANO PASSADO. O TÍQUETE MÉDIO TAMBÉM EXPERIMENTOU CRESCIMENTO NO PERÍODO.

PARALELAMENTE, DE JANEIRO A OUTUBRO DE 2014, MAIS DE 3 MIL CONSORCIADOS-TRABALHADORES USARAM QUASE R$ 80 MILHÕES DE SUAS CONTAS DO FGTS EM SUAS COTAS DE CONSÓRCIO DE IMÓVEIS. 

- PARTICIPANTES ATIVOS (CONSORCIADOS)
  - 705,0 MIL (EM OUTUBRO/2014)
  - 692,3 MIL (EM OUTUBRO/2013)
  CRESCIMENTO: 1,8%

- PARTICIPANTES QUITADOS (CONSORCIADOS EM GRUPOS EM ANDAMENTO) 
  - 170,0 MIL (EM OUTUBRO/2014)
  - 165,3 MIL (EM OUTUBRO/2013)
  CRESCIMENTO: 2,8%

- TOTAL DE PARTICIPANTES (CONSORCIADOS EM GRUPOS EM ANDAMENTO) 
  - 875,0 MIL (EM OUTUBRO/2014)
  - 857,6 MIL (EM OUTUBRO/2013)
  CRESCIMENTO: 2%
 
- VENDAS DE NOVAS COTAS (NOVOS CONSORCIADOS) 
   - 137,8 MIL (JANEIRO-OUTUBRO/2014)
   - 156,3 MIL (JANEIRO-OUTUBRO/2013)
   RETRAÇÃO: 11,8%
 
- VOLUME DE CRÉDITOS COMERCIALIZADOS (ACUMULADO NO PERÍODO)
   - R$ 15,7 BILHÕES (JANEIRO-OUTUBRO/2014)
   - R$ 16,9 BILHÕES (JANEIRO-OUTUBRO/2013)
   RETRAÇÃO: 7,1%

- TÍQUETE MÉDIO (VALOR MÉDIO DA COTA NO MÊS)
   - R$ 113,5 MIL (OUTUBRO/2014)
   - R$ 106,8 MIL (OUTBURO/2013)
  CRESCIMENTO: 6,3%

- CONTEMPLAÇÕES 
  (CONSORCIADOS QUE TIVERAM A OPORTUNIDADE DE COMPRAR BENS)
   - 57,2 MIL (JANEIRO-OUTUBRO/2014) 
   - 58,5 MIL (JANEIRO-OUTUBRO/2013)
  RETRAÇÃO: 2,2%

- VOLUME DE CRÉDITOS DISPONIBILIZADOS (ACUMULADO NO PERÍODO)
   - R$ 5,43 BILHÕES (JANEIRO-OUTUBRO/2014)
   - R$ 5,47 BILHÕES (JANEIRO-OUTUBRO/2013)
  RETRAÇÃO: 0,7%%

FGTS NO CONSÓRCIO DE IMÓVEIS 

NOS DEZ PRIMEIROS MESES DESTE ANO, QUASE R$ 80 MILHÕES FORAM UTILIZADOS NOS CONSÓRCIOS
A UTILIZAÇÃO PARCIAL OU TOTAL DOS SALDOS DAS CONTAS DO FGTS APROXIMOU-SE DOS R$ 80 MILHÕES, FEITA POR POUCO MAIS DE 3 MIL TRABALHADORES-PARTICIPANTES DO CONSÓRCIO DE IMÓVEIS, NO PERÍODO DE JANEIRO A OUTUBRO DE 2014.

 

FONTE: GEPAS/CAIXA

ELETROELETRÔNICOS E OUTROS BENS MÓVEIS DURÁVEIS

MESMO VIVENCIANDO RETRAÇÕES DURANTE OS DEZ PRIMEIROS MESES DO ANO, O SETOR DE ELETROELETRÔNICOS E OUTROS BENS MÓVEIS DURÁVEIS MANTIVERAM REGULARIDADE NO VALOR MÉDIO DAS COTAS ADQUIRIDAS. 

O DESTAQUE DO SETOR ESTEVE NO CRESCIMENTO DAS VENDAS MENSAIS. DEPOIS DE SOMAR APENAS 1.000 NOVAS COTAS EM JULHO, O VOLUME FOI AUMENTANDO MÊS APÓS MÊS E CHEGOU A 1.500 EM OUTUBRO, COM CRESCIMENTO DE 50%.

- PARTICIPANTES ATIVOS (CONSORCIADOS)
  - 31 MIL (EM OUTUBRO/2014)
  - 35 MIL (EM OUTUBRO/2013)
  RETRAÇÃO: 11,4%

- PARTICIPANTES QUITADOS (CONSORCIADOS EM GRUPOS EM ANDAMENTO)   
-     8,2 MIL (EM OUTUBRO/2014)
  - 11,4 MIL (EM OUTUBRO/2013)
  RETRAÇÃO: 28,1%

- TOTAL DE PARTICIPANTES (CONSORCIADOS EM GRUPOS EM ANDAMENTO) 
  - 39,2 MIL (EM OUTUBRO/2014)
  - 46,4 MIL (EM OUTUBRO/2013)
  RETRAÇÃO: 15,5%

- VENDAS DE NOVAS COTAS (NOVOS CONSORCIADOS)
   - 12,5 MIL (JANEIRO-OUTUBRO/2014)
   - 17,7 MIL (JANEIRO-OUTUBRO/2013)
   RETRAÇÃO: 29,4%
 
- VOLUME DE CRÉDITOS COMERCIALIZADOS (ACUMULADO NO PERÍODO)
   - R$ 60,7 MILHÕES (JANEIRO-OUTUBRO/2014)
   - R$ 85,3 MILHÕES (JANEIRO-OUTUBRO/2013)
   RETRAÇÃO: 28,8%

- TÍQUETE MÉDIO (VALOR MÉDIO DA COTA NO MÊS)
   - R$ 4,9 MIL (OUTUBRO/2014)
   - R$ 4,8 MIL (OUTUBRO/2013)
   CRESCIMENTO: 2,1%

- CONTEMPLAÇÕES
  (CONSORCIADOS QUE TIVERAM A OPORTUNIDADE DE COMPRAR BENS)
   -   9,1 MIL (JANEIRO-OUTUBRO/2014) 
   - 12,9 MIL (JANEIRO-OUTUBRO/2013)
   RETRAÇÃO: 29,5%

- VOLUME DE CRÉDITOS DISPONIBILIZADOS (ACUMULADO NO PERÍODO)
   - R$ 43,7 MILHÕES (JANEIRO-OUTUBRO/2014)
   - R$ 60,8 MILHÕES (JANEIRO-OUTUBRO/2013)
   RETRAÇÃO: 28,1%

SERVIÇOS

A CRESCENTE PROCURA PELO CONSÓRCIO DE SERVIÇOS É CONFIRMADA PELO AUMENTO DE 15% NAS ADESÕES. 

TODOS OS INDICADORES DESTE SETOR - NOVAS COTAS, CONTEMPLAÇÕES, PARTICIPANTES, TÍQUETE MÉDIO, ALÉM DOS VALORES CONTRATADOS E DISPONIBILIZADOS, APONTARAM ALTA, NO PERÍODO DE JANEIRO A OUTUBRO, QUANDO COMPARADOS 2014 X 2013.

- PARTICIPANTES ATIVOS (CONSORCIADOS)
  - 21,5 MIL (EM OUTUBRO/2014)
  - 16,8 MIL (EM OUTUBRO/2013)
   CRESCIMENTO: 28%

- PARTICIPANTES QUITADOS (CONSORCIADOS EM GRUPOS EM ANDAMENTO) 
  - 3,3 MIL (EM OUTUBRO/2014)
  - 2,2 MIL (EM OUTUBRO/2013)
   CRESCIMENTO: 50%

- TOTAL DE PARTICIPANTES (CONSORCIADOS EM GRUPOS EM ANDAMENTO) 
  - 24,8 MIL (EM OUTUBRO/2014)
  - 19,0 MIL (EM OUTUBRO/2013)
   CRESCIMENTO: 30,5%

- VENDAS DE NOVAS COTAS (NOVOS CONSORCIADOS)
   - 8,4 MIL (JANEIRO-OUTUBRO/2014)
   - 7,3 MIL (JANEIRO-OUTUBRO/2013)
   CRESCIMENTO: 15,1%

- VOLUME DE CRÉDITOS COMERCIALIZADOS (ACUMULADO NO PERÍODO)
   - R$ 50,1 MILHÕES (JANEIRO-OUTUBRO/2014)
   - R$ 40,2 MILHÕES (JANEIRO-OUTUBRO/2013)
   CRESCIMENTO: 24,6%

- TÍQUETE MÉDIO(VALOR MÉDIO DA COTA NO MÊS)
   - R$ 5,8 MIL (OUTUBRO/2014)
   - R$ 5,4 MIL (OUTUBRO/2013)
   CRESCIMENTO: 7,4%

- CONTEMPLAÇÕES
(CONSORCIADOS QUE TIVERAM A OPORTUNIDADE DE CONTRATAR SERVIÇOS)
   - 5,0 MIL (JANEIRO-OUTUBRO/2014) 
   - 3,7 MIL (JANEIRO-OUTUBRO/2013) 
   CRESCIMENTO: 35,1%

- VOLUME DE CRÉDITOS DISPONIBILIZADOS(ACUMULADO NO PERÍODO)
   - R$ 29,0 MILHÕES (JANEIRO-OUTUBRO/2014)
   - R$ 20,7 MILHÕES (JANEIRO-OUTUBRO/2013)
   CRESCIMENTO: 40,1%

 

PESQUISA REVELA: CIRURGIAS PLÁSTICAS CRESCEM E COLOCAM SAÚDE E ESTÉTICA NO PRIMEIRO LUGAR DA PREFERÊNCIA NOS CONSÓRCIOS DE SERVIÇOS


Possivelmente motivados pela primeira colocação obtida pelo Brasil no ranking das cirurgias plásticas no mundo, parcela significativa dos consorciados contemplados optaram por utilizar suas cartas de crédito para esse tipo de operação, levando a categoria de Saúde e Estética a ocupar a primeira posição entre os principais usos do mecanismo. Setorialmente, as plásticas participaram e elevaram o percentual de 11,98%, registrado em maio [data da última pesquisa], para 36,6%, crescendo 205,5%. Mostrou ainda que os consórcios de serviços podem ser aproveitados para situações relacionadas com a autoestima, tanto para homens como para mulheres.

O resultado, obtido em levantamento feito recentemente pela assessoria econômica da ABAC Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios junto a mais de vinte administradoras atuantes no setor, registrou a multiplicidade no uso planejado dos créditos quando da contemplação. 

Com custos menores e a certeza da liberdade de escolha do prestador de serviço, seja profissional liberal seja técnico, esse mecanismo de autofinanciamento tem levado muitos consumidores a optar pelo consórcio para a realização de objetivos pessoais, familiares ou empresariais. O segmento de Serviços Residenciais, que ficou em segundo lugar com 29,1%, foi seguido por Festas e Eventos com 13,8%; Turismo com 4,8%; Serviços Automotivos com 3,3%; Serviços Odontológicos com 2,6%; Serviços Educacionais com 2,3%; e Outros com 7,5%.

 

Fonte: Assessoria Econômica da ABAC

Rua Baependi, Nº 162
Ondina, Salvador - Bahia
CEP: 40170-070
Tel.: 71 2107-9666
2019. ABM - Consórcios. Todos os direitos reservados.
Produzido por: Click Interativo - Agência Digital